Já tratamos e muito sobre como criar uma atlética, organizar danças e músicas e deixá-la o mais atrativa possível para novos membros. Mas não queremos que a nossa atlética seja apenas “mais uma”, né?  Vamos tratar aqui sobre maneiras de personalizar sua atlética e quais itens devem ser lembrados para criar uma identidade própria!

Tenha um nome ou apelido

Existem diversas atléticas que são conhecidas por apelidos. A origem destes pode ser desde uma piada interna dos membros participantes, passando por uma característica da faculdade ou uma peculiaridade dos membros.

Uma história engraçada e a origem de um apelido:  Senta que lá vem história!Um exemplo que podemos usar é a “Leiga”, apelido dado à faculdade de medicina de Pelotas. Na cidade de Pelotas existem duas universidades, a Universidade Católica de Pelotas(UCPEL) e a Universidade Federal de Pelotas(UFPEL). O curso de medicina da UCPEL é mais antigo, de maneira que eles referiam-se aos alunos da federal como “leigos”, por não possuírem um curso na área.

Com a criação do curso de medicina na universidade federal, os alunos desta adotaram o apelido de “leiga”, que também é o nome da atlética. Pegou mesmo né?

Criando um mascote

Esse item é importantíssimo, já que o mascote é a “cara” da atlética, a imagem que estará fortemente associada com o nome e com a história. Vamos conhecer alguns exemplos famosos de mascotes de atléticas de todo o país:

• Tubarão Bruce : Atlética de Comunicação e Artes – UFRJ
• Rinoceronte : Atlética da Fisioterapia – Anhanguera XIII de Outubro
• Carcará : Atlética Martelada – UFOP
• Peru : Atlética Leiga – UFPEL

Se você conseguir criar um mascote que possua alguma relação com seu curso, melhor ainda! Sabe aquele seu colega da atlética que sabe desenhar bem? Aproveite e use os talentos dele para a criação de uma arte conceitual do seu mascote. A identidade de um bom mascote vale muito na hora de tornar sua atlética única!

Escolhendo as cores

Aqui, vamos precisar que você e seu grupo da atlética usem cada gotinha de criatividade disponível! A última coisa que você quer é ser confundido com um membro de outra atlética, certo? Então saiba que isso acontece muito frequentemente: há tantas atléticas de tantos cursos pelo país que as cores e os padrões acabam por repetir-se, mesmo que não seja a intenção.

Para tentar resolver isso, tente fugir do óbvio e optar por combinações de cores pouco utilizadas. Evite utilizar apenas uma cor, isso pode tornar seu uniforme simples demais e pouco diferenciado (lembre-se: identidade é a palavra de ordem, fuja do óbvio!)

Com estas três dicas básicas você já terá muito para iniciar o seu processo de “personalização” da sua atlética. Evitar repetir padrões que diversas pessoas já adotaram e pensar “fora da caixa” é essencial para ter sucesso nessa etapa!