Num primeiro momento, pode parecer que alimentação e estudos não tenham muito a ver um com o outro. Mas a verdade é que muitos fatores

Dessa maneira, o organismo funciona melhor — o sistema nervoso, a capacidade de memorização, a disposição física, são todos favorecidos. Portanto, se você ainda não ficou atento a essa relação, leia todo o post e saiba um pouco mais sobre o assunto.

Benefícios de aliar alimentação e estudo

Às vezes, tentamos todos os tipos de técnicas de estudos, ficamos horas sem dormir para ler todo o conteúdo, fazer resumos e revisões. Mas, ao final, não conseguimos manter o foco e parece que todo o esforço não foi tão produtivo quanto era esperado.

Devemos dar atenção a outros fatores que podem estar interferindo no resultado desejado, e a boa alimentação é extremamente importante para manter o nosso corpo funcionar bem, afastando males e doenças.

Sem os nutrientes necessários, nos sentimos sem energia, o que prejudica, inclusive, os estudos. Uma boa alimentação proporciona muitos benefícios:

  • Fortalece o sistema imunológico;
  • Ativa a circulação sanguínea;
  • Estimula o sistema nervoso e a atividade cerebral;
  • Melhora a capacidade de concentração e memória;
  • Afasta sintomas como sonolência, fraqueza, fadiga e desmotivação.

Riscos da praticidade

Um grande obstáculo para quem vive uma rotina intensa de estudos e não tem muito tempo livre é manter uma dieta saudável, sem recorrer, com frequência, aos produtos industrializados. Ricos em sódio, corantes, gordura trans, conservantes, entre outros aditivos químicos, eles são bastante prejudiciais à saúde.

Além de aumentar a predisposição a algumas doenças, os alimentos industrializados não garantem os nutrientes essenciais para o bom funcionamento do organismo. Eles são apenas capazes de satisfazer a sensação de fome, mas não de nutrir devidamente o nosso corpo.

Portanto, mesmo que a praticidade seja tentadora, procure sempre investir em opções mais naturais, frescas e saudáveis.

Os efeitos de uma alimentação pobre em nutrientes é cumulativo e pode ser o grande motivo da imunidade baixa, do cansaço e de dores de cabeça constantes que atrapalham o seu rendimento na escola ou no trabalho.

O que incluir no cardápio

Mas, então, o que é essencial incluir no cardápio? Primeiramente, quem deseja manter uma dieta saudável e equilibrada deve procurar um bom nutricionista para receber as orientações adequadas, de acordo com as suas necessidades individuais.

Contudo, algumas dicas podem fazer a diferença. O ideal é incluir sempre nas refeições fontes de proteínas, fibras, vitaminas e sais minerais. Elas estão presentes principalmente nas frutas, legumes, verduras, grãos e cereais.

Já os alimentos pesados e gordurosos devem ser evitados, pois dificultam a digestão e impedem que uma boa quantidade de sangue e oxigênio vá para o cérebro; por isso ficamos sempre cansados ou indispostos depois de uma refeição pesada.

Alguns componentes são imprescindíveis para o cérebro, a concentração e a memória; é o caso do zinco, do ômega 3, do ferro e do selênio, que podem ser encontrados nos peixes, nos vegetais verde-escuros, na carne vermelha e nos grãos.

Outra dica fundamental é manter a hidratação em alta. Tomar bastante água todos os dias conserva o organismo ativo e evita dificuldades de concentração. A cafeína também pode ser uma boa aliada, mas sempre com moderação.

Conseguiu entender melhor a relação entre alimentação e estudo? É muito importante cuidar da saúde para conseguir obter bons resultados.

Siga-nos nas redes sociais e mantenha-se sempre atualizado sobre esse e outros assuntos!