A entrada para a faculdade pode causar um certo frio na barriga. 

Afinal, se tornar bixo e vivenciar o primeiro semestre em instituição de ensino superior é uma experiência única para cada estudante, mas, o medo, o nervosismo e a ansiedade são alguns dos sentimentos mais comuns que todos enfrentam neste novo ciclo.

Por isso, não se engane. Até aquele seu amigo mais extrovertido é capaz de perder a coragem na hora de se enturmar, ou participar das confraternizações propostas pelos veteranos do curso.

E por que a entrada na faculdade costuma causar tanto receio nos calouros universitários? Qual a origem dessa inquietação que muitos bixos sentem ao se inserir nesse novo espaço?

Para descobrir essa e outras respostas, continue a leitura até o fim!

O trote nas faculdades

Se você é um recém-bixo deve estar se perguntando como será a recepção no seu curso. Como são os veteranos? Como funcionam os trotes? Está na dúvida se irá participar? Então, muito calma, que vamos chegar lá! 

Primeiramente, é importante dizer que os trotes nas universidades se desenvolveram, ao longo dos anos, sob uma cultura de violência. No geral, os trotes acabaram, por diversas vezes, ultrapassando os limites do aceitável, não apenas no Brasil, como em outros diversos países.

A noção de que os trotes perpassam por dinâmicas de poder e relações culturais é algo bastante retratado, não somente nas notícias, mas, também, na indústria do entretenimento, a partir de filmes, séries e outras esferas.

Assim, em sua concepção, o trote sempre possuia um significado negativo, que remetia a humilhações, constrangimentos, e outros  tipos de abuso. 

Porém, nos dias atuais, os trotes passaram por mudanças e transformações, construindo novos objetivos e processos de integração com os bixos

Ainda é possível descobrir relatos e casos de trotes abusivos, mas essa prática tem sido cada vez mais exposta e criminalizada. Sendo assim, diversas faculdades públicas e privadas do país começaram a verbalizar o seu repúdio com essas “brincadeiras”, bem como propor alternativas de trotes saudáveis e solidários.

Exemplos positivos de trotes nas universidades do Brasil

Ao considerarmos ideias bacanas de serem aplicadas nos trotes, não faltam exemplos de que tanto as faculdades, quanto a grande maioria do corpo estudantil estão, gradativamente, rompendo com os ciclos de violência de trotes passados. 

Veja abaixo esses 3 exemplos de universidades que estão praticando novos formatos de trotes!

1. Ufscar

A Universidade Federal de São Carlos (Ufscar), localizada em São Paulo, é conhecida por abraçar e promover ações que visam um trote solidário entre bixos e veteranos na instituição.

Algumas das realizações, planejadas pelas próprias atléticas da Ufscar, incluem a doação de sangue para hospitais, a doação de cabelo para pacientes com câncer, e outras ações beneficentes. Bem legal, não é mesmo?

2. Uniritter

Outras expressões de trotes solidários também são postas em prática pela universidade privada, a Uniritter, localizada em Porto Alegre.

Arrecadação e distribuição de alimentos para famílias carentes, cartas de apoio aos profissionais da saúde por conta da pandemia, são alguns exemplos criativos concebidos pela universidade gaúcha, e executados pelos bixos. 

3. Fadergs

É claro que, por conta da Covid-19, muitas ações tiveram que ser interrompidas, preservando o próprio bem-estar do aluno e não o colocando em risco. Porém, isso não desestimulou a Faculdade de Desenvolvimento do Rio Grande do Sul (Fadergs), também localizada em Porto Alegre.

Para que o acolhimento aos calouros continuasse, mesmo que de forma remota, a Fadergs organizou um trote para os moradores da Casa Lar da Associação de Cegos Louis Braille. 

Desse modo, tanto bixos como veteranos tiveram a oportunidade de enviar áudios com mensagens de solidariedade à associação. 

Qual o propósito dos trotes universitários?

Como vimos, existem sim, novos formatos de trote com a melhor das intenções aos estudantes. Caso sua faculdade não exercite os trotes solidários, ainda sim, você pode participar de trotes presentes em atléticas ou por veteranos de barras mais velhas. Seja como for, é importante que você se encontre plenamente confortável para participar da fraternização. 

Afinal, de nada vale se dispor a uma situação que vá contra os seus valores ou que desrespeite a sua integridade. Por isso,  é importante pensar, e avaliar o cenário.

Em vista disso, saiba que as amizades na faculdade podem não ocorrer imediatamente e que, por vezes, você possa vir a se sentir solitário ou achar que o seu curso não é para você.

A faculdade exige muitos sacrifícios, e quando falamos em fazer amigos, ocasionalmente, você precisa fazer o exercício de sair da sua zona de conforto. Ou seja, tentar fugir ou escapar dos trotes pode gerar a perda de experiências e relações que, no futuro do curso, poderiam render ótimas amizades e networks importantes.

Entenda que, de quando em quando, você precisa se arriscar, pois a socialização e o contato com outros veteranos pode te abrir muitas portas, fazer você se apaixonar pelo curso, ser indicado para vaga de estágios, e assim por diante.

Por fim, lembre-se que o propósito fundamental dos trotes saudáveis é, justamente, se opor aos trotes abusivos de que falamos antes. Se você sentir que está tudo bem, vá em frente, seja você mesmo, e busque compreender que o esforço de conhecer novas pessoas, que irão fazer parte da sua rotina nos próximos 4 ou 5 anos, pode ser muito recompensador. 

Conclusão: Divirta-se

Talvez se você estiver preocupado(a) com a sua adaptação nessa nova fase, deve estar imaginando se realmente conseguirá aproveitar os bons momentos da faculdade. Entretanto, a verdade é que, apesar de todos os anseios, nunca deixe de desfrutar da parte boa da faculdade. Esta é a mensagem principal que você deve absorver.

Com os exemplos vistos ao longo deste artigo, podemos observar que a cultura do trote deixa muito a desejar, embora as alternativas de novos tipos de trotes estejam crescendo, e se multiplicando nas universidades brasileiras.

Reforçamos que, apesar de você se sentir nervoso(a) e receoso(a) com a sua chegada em um lugar totalmente novo diferente do colégio, faça pequenos movimentos para conhecer novos amigos e colegas. Tome seu tempo e vá com calma, porque esses vínculos, como dissemos antes, podem se tornar essenciais para seu crescimento como indivíduo e futuro profissional.

Se você gostou desse conteúdo, não deixe de ler nossos outros conteúdos.